A história de Higienópolis

A pesquisadora Lucia Chermont falou na Sede sobre a história do bairro mais judaico de São Paulo: Higienópolis. A palestra discorreu sobre o começo da ocupação da região, ainda no século 19, quando houve um loteamento de terras para membros da elite paulistana.

Depois, ilustrou como foi a migração judaica para o bairro, que aconteceu principalmente entre os anos 1950 e 1970, com a chegada dos judeus egípcios e, posteriormente, sírios e libaneses, além de pessoas que se mudaram do Bom Retiro e da Mooca. “A Mekor Haim, fundada em 1959 por judeus do Egito, que fugiam da política antissemita de Nasser, foi um marco no bairro”, contou. A sinagoga ficou sediada na Rua Brigadeiro Galvão, até inaugurar, em 1967, sua sede na Rua São Vicente de Paula.

Posteriormente, a estrutura judaica do bairro cresceu, com a inauguração da filial do Colégio Renascença, a sede do Círculo Macabi, a fundação da Escola Tiferet e da Congregação Monte Sinai, entre outros estabelecimentos. “Em 1980, já era o bairro mais judaico de São Paulo, superando o Bom Retiro e igualando o número de judeus ao da cidade de Porto Alegre, com sete mil indivíduos”, contou

Toda essa pesquisa está no seu livro Memória e Experiência de Judeus de Higienópolis e Arredores. Lucia, inclusive, doou um exemplar para a WIZO São Paulo.

Ao final, muitas voluntárias também deram seu testemunho sobre o bairro e suas mudanças ao longo do tempo, que continua abrigando boa parte da comunidade judaica de São Paulo.