Adeus a Rosa Motta Z”L

“Rainha das flores, Rosa/o teu nome faz supor/que sendo assim tão formosa/também feres, como a flor.” Esta frase é do escritor Mario Quintana e está em um álbum no qual Rosa Motta colecionava, há mais de 60 anos, autógrafos e textos dedicados a ela de famosos como Jorge Amado, Moacyr Scliar, Monteiro Lobato, Oswald de Andrade e até Orson Welles, entre muitos outros. Este álbum era um orgulho para ela. Porém, tinha outro orgulho: os netos, com os quais dialogava e acompanhava detalhes de suas carreiras.

Quieta e atenta a tudo, sentada no fundo da sala, ela estava presente em muitas tardes de terça-feira na WIZO. Sua quietude se transformava quando atuava no Concurso WIZO de Pintura e Desenho. Ali ela vibrava, desde a escolha do tema anual até o término da premiação, acompanhando cada etapa. Era ela a curadora, que se preocupava com o número de trabalhos enviados, a qualidade, a adesão correta ao tema. São muitas histórias. Na visita anual à Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, para convidar o titular do cargo, ela insistia em que “o secretário não se esquecesse da data de entrega dos prêmios” e que “assistisse a cerimônia toda”. Assim, a chaverá defendia e mostrava a importância na atuação da WIZO no âmbito da Educação. Para quem acompanhou cada um destes momentos fica a saudade da amiga que queria o melhor em tudo. Uma rosa para Rosa…