As faces do antissemitismo

A WIZO São Paulo recebeu a professora e historiadora Maria Luiza Tucci Carneiro, que fez uma interessante palestra sobre a evolução do antissemitismo ao longo dos anos e a ascensão de partidos de extrema direita, nos últimos tempos, se alastrando pelo mundo.

palestra-tucci-wizo-10

Com vasto material ilustrativo, fruto de anos de pesquisa, Tucci explicou como o antissemitismo – e o preconceito de uma forma geral – ao longo do tempo recicla seus próprios mitos. Segundo ela, esses mitos conseguem se manter por meio “da repetição e da constante reelaboração da sua narrativa, sempre sedutora”.

Tucci enumerou alguns dos mitos que se espalharam sobre os judeus e que ganharam força ao longo dos anos, como o que afirma “não existirem judeus pobres” ou de que “judeus controlam a mídia”.

Com figuras do século XIV, como o quadro de Giotto “O Beijo de Judas”, até textos atuais presentes na Internet, Tucci demonstrou que o antissemitismo continua vivo e se alimentando desse preconceito.

No entanto, a professora terminou sua palestra com um tom otimista e com soluções para se combater o preconceito. “Temos que nos indignar, e fazer política para resguardar a memória, estimular a educação e criar ativistas informados, conscientes de suas ações e com respostas para as mentiras que são espalhadas, ações que vocês já fazem aqui na WIZO”, concluiu.

Ao final, Tania Tarandach contou sobre a principal ação realizada pela WIZO São Paulo nesse sentido, o Concurso de Pintura e Desenho, que desmistifica aos alunos das escolas públicas a imagem sobre Israel através de material produzido de acordo com o tema proposto quando da realização anual do evento e sua propagação, seja pelo site da Organização, como pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, parceira nessa maratona estudantil.