Ato de Yom Hashoá na WIZO

Durante a cerimônia de Yom Hashoá na WIZO São Paulo, foram acesas seis velas em homenagem aos seis milhões de judeus mortos durante o Holocausto. O Yizkor foi recitado por Avraham Katri, enquanto que o chazan Alexandre Schinazi entoou duas canções que remetem aos horrores vividos na Segunda Guerra Mundial: “Eli, Eli” e “Donna, Donna”.

 

A chaverá Rebeca Rosenberg e Edith Nekrycz (filha de Ben Abraham e Miriam Nekrycz) declamaram textos que lembraram as dores e a luta dos judeus na época. “Nós, os judeus, demonstramos, nessa maldita guerra, que somos um podo de heróis. Que apesar de perdermos a flor do judaísmo, que apesar de ficarmos quase exterminados na Europa, não fomos vencidos, tampouco derrotados”, recitou Edith.

Já a voluntária Malvina Klinow leu a explicação da origem da data, em texto de autoria das chaverot Yona Davidson e Esther Blinder. “O dia 27 de Nissan, dia em que estourou o levante do Gueto de Varsóvia, foi estabelecido por decreto da Knesset (Parlamento de Israel) como o Dia de Recordação do Holocausto”.

Na tarde do ato de Yom Hashoá na WIZO São Paulo também foi exibido o filme Tsé, com a presença do diretor Fabio Kow (na foto, ao lado da presidente da WIZO São Paulo, Nava Shalev Politi). O longa, que deve estrear no circuito comercial no mês de agosto deste ano, conta a história da avó do cineasta, que milagrosamente sobreviveu ao Holocausto. Com muita sensibilidade, o filme mescla imagens de arquivo, entrevistas e cenas de musicais famosos dos anos 1940.

Grande parte do bom público que compareceu à sede da Organização se identificou com a protagonista e aplaudiu ao final da projeção.