Comemoração dos 68 anos de Israel

A celebração de Yom Haatzmaut foi cheia de atrações. Na tarde que celebrou os 68 anos do Estado de Israel, foram acesas oito velas. Uma em homenagem aos soldados que deram suas vidas para que pudesse ser erguido um Estado Judeu e outras sete em uma bela Menorá. “Além de ser um de nossos símbolos mais antigos, a Menorá tem sete braços como as sete letras que formam a palavra Jerusalém (em hebraico)”, explicou Yona Davidson, do Departamento de Cultura.

A festa contou com a participação do Coral Sharsheret, que entoou músicas em ídiche e hebraico, referentes à data, emocionando a todos. Já Theo Holtz ficou responsável pela parte litúrgica.

Também houve leitura de textos e poemas pelas chaverot Frida Kier Weingarten, Rebeca Rosenberg e Genha Migdal para celebrar a existência e a importância do Estado de Israel. O secretário de Estado de Desenvolvimento Social de São Paulo e deputado federal Floriano Pesaro, que não pode estar presente dado os últimos acontecimentos políticos em Brasília, enviou uma mensagem lida pela chaverá Monique Dayan.

Alberto Milkewitz, da Federação Israelita do Estado de São Paulo, falou sobre o programa Hassefá Ba’Haretz, que leva anualmente líderes judeus a Israel. “Detectou-se há alguns anos que lideranças da comunidade não sabiam o suficiente sobre Israel e judaísmo, por isso fui incumbido pelo então presidente da Fisesp Mario Fleck, de montar um programa para suprir essa deficiência”, contou.

De lá para cá, já participaram mais de 150 pessoas, que se reuniram com importantes personalidades de Israel e do mundo para debater temas como geopolítica, expressão de identidade, recursos econômicos, entre outros assuntos que permeiam as comunidades judaicas pelo mundo.