Concurso WIZO 2018 premia os vencedores

Em sua 30ª edição, evento homenageou os alunos das escolas públicas estaduais que melhor representaram o tema “Brasil e Israel: Música & Dança”

 

Em seus 30 anos de existência, o Concurso WIZO de Pintura e Desenho tem levado conhecimento sobre a realidade israelense e incentivado o talento artístico de milhares de alunos da rede pública estadual. “Do ano 2000 até hoje, contamos com a participação de 1500 escolas, de 410 cidades do Estado de São Paulo”, contou Tania Tarandach, diretora do Concurso, ressaltando que de 1988 até 1999 não havia registro computadorizado. Tania ainda deu mais números: “Nos primeiros 15 anos recebemos uma média de 600 trabalhos por ano, no total de nove mil, enquanto que nos 15 anos seguintes, foram 1.100 trabalhos anuais, totalizando 16 mil e quinhentas obras, ou seja, desde o início, recebemos 25 mil e quinhentas obras”.

Em todas as ocasiões, a emoção tomou conta da cerimônia de premiação. Este ano não foi diferente. O Auditório Franco Montoro, da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, ficou completamente lotado. A mesa diretora foi formada por Teruko Araki Kamitsuji, presidente do Conselho Estadual Parlamentar de Comunidades de Raízes e Culturas Estrangeiras; Celia Maria Monti Viam Rocha, da Coordenadoria de Gestão da Educação Básica da Secretaria de Educação do Estado de SP; Cecilia Goren, consulesa de Israel em São Paulo; Sergio Napchan, diretor de Relações Institucionais da Confederação Israelita do Brasil; Jacques Griffel, diretor da Federação Israelita do Estado de São Paulo; e Nava Shalev Politi, presidente da WIZO São Paulo.

“O tema deste ano foi desafiante, pois os estudantes tinham que expressar em pintura e desenho outras expressões culturais, também complexas, como a música e a dança”, falou Teruko. Celia, que representou o secretário João Cury Neto, elogiou a iniciativa e falou sobre a parceria com a Secretaria da Educação. “Espero que possamos continuar com esse convênio, que é muito importante para nós, e seria bom se outras instituições pudessem dar essa oportunidade a nossos jovens”.

O primeiro prêmio anunciado foi o do EJA – Educação de Jovens e Adultos, dedicado a alunos que não terminaram os estudos no tempo regular. O vencedor, William Luciano dos Santos, é interno de uma penitenciária. “Além da dificuldade de estar preso, William ainda só tem 50% da visão em cada olho, e ficou emocionado com o tema, pois já tinha participado em grupos de dança”, contou a professora Giseli Renz Balista.

 

Investimento em Educação

Alunos e professores confidenciaram que o material informativo elaborado pelo Departamento de Concurso da WIZO São Paulo foi importante para a pesquisa, assim como a Internet. Além disso, temos que destacar o esforço de divulgação da Secretaria de Educação, nas figuras do secretário João Cury Neto e do professor Carlos Povinha, que permitiu que cem novas escolas participassem do Concurso e disponibilizou transporte para que os premiados pudessem comparecer com seus professores, pais e colegas.

Nava Shalev Politi ressaltou a qualidade das obras. “São trabalhos como esses que nos inspiram e nos estimulam na continuidade desse Concurso.” A consulesa Cecília Goren se mostrou muito emocionada. “Esta é uma oportunidade que os jovens têm de conhecer mais sobre o Estado de Israel e sobre o trabalho da comunidade judaica aqui no Brasil.”

A professora Silvia de Cássia Silva falou como este trabalho mobilizou os alunos da escola e sobre a obra da aluna Samantha de Souza e Silva, vencedora do terceiro prêmio. “A Samantha que teve a inciativa de participar, e mesmo antes de o Concurso ser lançado, ela já perguntava sobre ele”, contou. A professora Rosimari Zapalá, que orientou o trabalho do segundo colocado, José Felipe da Silva Nascimento, relatou sobre a pesquisa realizada. “Verificamos vários canais de informações, cruzamos os dados, até para comprovar a veracidade do conteúdo”, explicou.

Sergio Napchan destacou o trabalho da WIZO e considerou extremamente importante a iniciativa do Concurso. “As coisas funcionam melhor quando o terceiro setor age em parceria com a esfera pública e por isso essa iniciativa é extraordinária”, disse, lembrando que este ano se comemora os 70 anos do Estado de Israel e que as relações entre Brasil e a comunidade judaica se dão desde a época do descobrimento. Jacques Griffel lembrou como a educação é uma preocupação essencial da Federação Israelita e de todas as entidades judaicas. “A educação é parte essencial da nossa cultura, está no nosso DNA o incentivo ao estudo, e o que nos interessa primordialmente é o investimento em educação.”

A orientadora da primeira colocada Clara Gonçalves Silva, a professora Marli Aparecida Ribeiro de Paula Dias descreveu a dificuldade de se elaborar a obra vencedora. “Sou professora de artes, não tenho muito conhecimento de música e dança, mas enfrentei o desafio e estudei bastante a apostila informativa para passar o conteúdo aos alunos”, contou. A aluna também explicou sobre sua obra. “A professora me mostrou a técnica do mosaico, que eu gostei bastante, e apesar de difícil, fica um resultado muito bom”, relatou Clara. Sobre o tema, ela revelou: “Eu não conhecia muito sobre Israel, e pesquisando deu para entender bastante da cultura, da música, e essa ligação com o Brasil, que é muito especial”.

Na ocasião, foram mostrados dois vídeos, um sobre Israel e outro sobre as atividades da WIZO São Paulo, e o Coral Sharsheret encantou cantando os hinos do Brasil e Israel e mais duas canções de seu repertório, uma delas Tumba Lalaika, em ídiche, cujo refrão a maestrina passou para a plateia, que cantou junto. Ao final, o mestre de cerimônia da tarde, o animado Alberto Danon, anunciou o sorteio de uma bicicleta e um porta-retratos digital. Os sortudos foram os jovens Artur Lopes Costa, de São Bernardo, que levou a bike, e Mikely da Silva Barros, de Ribeirão Preto, premiada com o porta-retratos eletrônico.

Confira o nome, a escola, a cidade e a professora de todos os alunos vencedores:

1º LUGAR:

Aluna Clara Gonçalves Silva

EE Profa. Cordélia Ribeiro Ragozo – Ribeirão Preto

Profa. Orientadora: Marli Aparecida Ribeiro de Paula Dias

2º LUGAR:

Aluno José Felipe da Silva Nascimento

EE Profa. Marilena Piumbato Chaparro – São Paulo

Profa. Orientadora: Rosimari Zapalá

3º LUGAR:

Aluna Samantha de Souza e Silva

EE Profa. Benedicta aranha de Oliveira Lino – Santa Barbara D´Oeste

Profa. Orientadora: Silvia de Cássia Silva

MENÇÕES HONROSAS (2)

Aluna Julia Letícia Barbosa

EE Abilio Manoel – Bebedouro

Profa. Orientadora: Silvana Brogna Salim Rodrigues

Aluno Lincoln Dias de Souza

EE Papa Paulo VI – Santo André

Profa. Orientadora: Marcia Regina Crepaldi Tavares

PRÊMIO JÚRI ABERTO

Aluna Rafaela de Sales Alves

EE Monsenhor José Trombi – Fartura

Profa. Orientadora: Alessandra Rodrigues Pereira

PRÊMIO EJA

Aluno William Luciano dos Santos

EE Prof. Joel Aguiar – Pacaembu

Profa. Orientadora: Giseli Renz Balista