Federação promove Seminário

A voluntária Rebeca Rosenberg falou às chaverot sobre sua experiência de ter participado do 11º Seminário da Terceira Idade, promovido pela Federação Israelita do Estado de São Paulo no Ten Yad. “O envelhecimento não deve ser encarado como um problema, mas como uma conquista e um triunfo, pois somos uma consequência da vida que levamos”, disse ela.

Rebeca contou que uma das preocupações levantadas no fórum foi a estimativa que, no ano de 2025, haverá um bilhão de idosos no mundo. Por isso, pesquisas para melhorar a qualidade de vida da população dessa faixa são cada vez mais numerosas. “Uma das preocupações é que haja emprego para os idosos e, nesse sentido, há vários planos de trabalho nos Estados Unidos e na Europa.”

As dificuldades físicas e emocionais sofridas pelos idosos também foram abordadas no Seminário. “As perdas de pessoas próximas e da saúde do corpo e da mente causam uma ruptura. Esse é o momento de transformação, onde a autoestima ainda deve atuar, sentindo que portas se fecham, mas outras necessitam ser abertas.”

Entre as recomendações para uma melhor qualidade de vida, foram citadas a atividade física constante e o engajamento em ações sociais. “A Torá considera a idade avançada uma virtude e uma benção, e velho é sinônimo de sábio”, concluiu Rebeca.