Felicidade na Terceira Idade

A psicóloga Tatiana Wernikoff falou sobre o conceito de felicidade na Terceira Idade. “A realidade está em mudança e o, o número de idosos no Brasil está igualando o de crianças de zero a 14 anos; ainda estamos repetindo os mesmos paradigmas de antigamente”, falou Tatiana.

Entre esses paradigmas está o pensamento de muitos idosos de que, ao receber a proposta de algum programa, eles dizerem “não tenho mais idade com isso” ou “isso não é para mim”.

A psicóloga frisou a importância de se cuidar do corpo, independentemente da idade, uma vez que iremos viver muito mais tempo, e não termos vergonha de pedir ajuda quando necessário. “É fato que a autonomia para diversas tarefas começa a diminuir com a idade, então é importante pedir auxílio sempre que necessário”.

Ao final, Tatiana fez um exercício lúdico com as voluntárias, que escreveram e fizeram desenhos sobre o tema discutido. E também trouxe um texto, que resume de forma poética a definição de um idoso, do qual um trecho dizia: “Um ancião ainda busca felicidade, alegria e prazer, e seu direito a eles permanece intacto. Além disso, um ancião é uma pessoa que merece respeito e honra, cujo trabalho é sintetizar em sabedoria sua longa experiência de vida, e transformar esta sabedoria em um legado para futuras gerações”.