Homenagem a Lucia Igel z’l

Realizou-se, na Sede, a Haskará em homenagem a uma das chaverot mais atuantes da Organização, Lucia Igel. Com a presença de familiares e amigas, a cerimônia foi emocionante. “Lucia era uma pessoa de bem com a vida, não reclamava de nada, tinha um ótimo senso de humor e sempre compartilhávamos receitas da culinária ídiche”, falou a presidente de Honra da WIZO-SP, Sulamita Tabacof.

homenagem-e-cartas-lacradas-5

“Lucia foi minha vizinha por 38 anos e logo ficamos amigas e organizamos o Grupo Tiferet, do qual ela foi presidente por muitos anos”, contou Regina Fichiman, que escreveu com a homenageada o livro “Receitas da Idishe Mame”. “Ela deixou muita saudade, e um exemplo de dignidade, amizade e dedicação que jamais esqueceremos”, complementou.

Em um discurso emocionado, a neta de Lucia, Sara Teitelbaum ressaltou o amor que sua avó tinha pela vida. “Só gostaria de falar de novo como a amo e, sempre que eu estava preocupada com algo, ela me ensinava como a vida é rápida e que não devemos perder tempo nos preocupando, o que me ajudava a dar a volta por cima.”

Seu filho, Henio Igel, agradeceu a homenagem e falou do desejo de que ela tivesse mais um pouco de vida. “É uma pessoa que vai fazer muita falta, pois tinha uma alegria viva e espontânea, e era uma pessoa maravilhosa.”

Henio rezou o Izcor em lembrança a sua mãe e, em seguida, foi realizado um kidush em memória de Lucia.

Cartas Lacradas

Após a homenagem, seguiu-se a palestra de Dora Oppenheimer, sobre o livro Cartas Lacradas, que conta a história de Michaela Varsano, judia italiana, filha de uma pobre costureira siciliana, que entrelaça seu destino com a família do Barão Maurice de Hirsch.

homenagem-e-cartas-lacradas-26

Com uma minuciosa pesquisa histórica, a obra reconstitui o século 19 e conta a vida pouco conhecida deste que foi um dos grandes filantropos da comunidade judaica em todos os tempos. “Após a publicação do livro, tive a honra de conhecer os descendentes do Barão Hirsch e contar a história dele em uma palestra na Bélgica”, contou Dora.

Segundo a escritora, além de salvar a vida de milhares de judeus, muitos perseguidos nos países do Leste Europeu, ele lhes dava casa, escola, comida, garantindo a vida digna de muitas famílias.

Ao final, Dora autografou seu livro para várias das pessoas presentes, além de fazer uma doação de alguns exemplares à WIZO.