Homenagem ao Mosaico Na TV

A WIZO-SP prestou uma justa homenagem a um dos programas mais emblemáticos da televisão brasileira, o Mosaico na TV, que está há mais de 50 anos ininterruptos no ar. O evento contou com a presença de Ricardo Berkiensztat, presidente-Executivo da Federação Israelita do Estado de São Paulo (Fisesp) e da família de Francisco Gotthilf (z´l), o “Sr. Mosaico”, criador do programa. “Quando falamos hoje de mídia judaica, o primeiro nome que nos vem à cabeça é o de Francisco Gotthilf, que continua com a gente na figura de sua esposa Raquel, seus filhos e netos e na continuidade do programa, que é um ativo da comunidade judaica brasileira”, falou Ricardo.

Roni Gotthilf, filho de Francisco e atual produtor do Mosaico, foi entrevistado pela jornalista Tania Tarandach, e falou sobre a história e a atual situação do programa. Relatou os nomes que passaram pelo programa, como Boris Casoy, Ney Gonçalves Dias, Salomão Ésper Jr., Mauro Zukerman, Nessim Hamaoui entre muitos outros que, hoje, se destacam como jornalistas ou profissionais em diferentes áreas.

Já entre os entrevistados, estiveram frente às câmeras Mikhail Gorbatchev, Albert Sabin, Pelé, Fernando Henrique Cardoso, entre tantas personalidades. Roni recordou a relação do programa com o rabino Henry Sobel. “Ele não estava nem há 60 dias no Brasil, e meu pai achou interessante colocá-lo no Mosaico, onde ficou 30 anos no ar fazendo o quadro ‘Pergunte ao Rabino’”.

O neto de seu Francisco, Fred, contou uma história que resume bem a personalidade de seu avô, de valorizar pessoas mais simples e não se impressionar com personalidades. “Uma vez, meu avô foi fazer uma matéria com o Lula, em Brasília, quando era ainda presidente. Estava com o cinegrafista, o Edmundo, mas não tinha ninguém para segurar a luz. Ele então pediu para a primeira pessoa que estava passando por ali que segurasse o equipamento. Por acaso, essa pessoa era o ex-presidente José Sarney”.

Entre as várias histórias contadas durante a tarde, a chaverá Genha Migdal falou sobre o tempo em que estagiou no Mosaico quando este ainda era um programa de rádio. “Fui locutora, em português, hebraico e ídiche, e isso me ajudou a custear meus estudos no cursinho”, relatou.

Em meio à celebração, a vice-presidente Nava Politi entregou uma salva de prata a Roni, que presenteou a WIZO-SP com um livro sobre a história de seu pai e um DVD dos 50 anos do Mosaico na TV. Também foi passado um vídeo de três minutos com grandes momentos do programa, que emocionou a todos.