Os 500 anos do Gueto de Veneza

Há 500 anos, no dia 29 de março de 1516, a Sereníssima República de Veneza determinou que os judeus seriam obrigados a viver numa área delimitada, que passou a se chamar “Ghetto”. Essa foi a primeira vez na história que o termo foi usado. Ariela Segre, que é italiana, esteve na WIZO-SP onde falou sobre esse tema. “Na época, muitos judeus foram para Veneza, então uma república independente e muito próspera, pois a Itália não existia como país”, explicou.

No entanto, ao contrário dos guetos criados na Segunda Guerra Mundial pelos nazistas, no Ghetto de Veneza os judeus viviam em relativa paz e prosperidade. “Lá havia cinco sinagogas, escolas e os limites eram marcados pelo rio, e não por muros”.

Apesar da aparente tranquilidade, os judeus tinham problema de espaço ali. Como não havia permissão para construir novos prédios, a solução era acrescentar andares acima dos existentes. “Chegaram a existir prédios de nove andares, quando não havia ainda elevador”.

Ariela também contou sobre os costumes dos judeus italianos. “Nós somos diferentes dos ashkenazim e sefaradim. Na culinária, por exemplo, temos o costume de comer massa em Rosh Hashaná e língua de boi é um prato típico para o dia a dia”.

Ao final, respondeu várias perguntas da plateia, interessada no tema.